\ .::Cristiano Forte::.






Cristiano Forte responde a perguntas enviadas por e-mail.

Caso tenha alguma pergunta, envie um e-mail para: cristianoforte@cristianoforte.com.br


Quais foram suas maiores influências?

Entre os muitos que já ouvi e que sempre me acrescentaram de alguma maneira, poderia destacar:
Luís Carlos (1º professor), João Barone, Neil Peart, Alex Van Halen, John Boham, Billy Cobhan, Carlos Bala, Akira Jimbo, Gregg Bissonete, Dave Weckl, David Garibaldi, Luís Carlos (Banda Black Rio), Kiko Freitas, Virgil Donati, Ramon Montanhaur, Jean luc Point e seus bateristas, Richard Bona, entre tantos outros.

Qual sua formação musical?

Aos 15 anos iniciei meus estudos tendo como professores particulares:
Luís Carlos (Músico de baile no RS);
Barel (Músico de baile no RS);
Daniel Lima (1º Percussionista da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre/RS);
Argos Montenegro (Músico de Jazz/RS);
Zé Montenegro (Baterista da Base Aérea de Canoas/RS);
Kiko Freitas (RS);
Pato Romero (PR);
Curso de Formação em Música, em um projeto de extensão Universitária, promovido pela UNISUL de Tubarão/SC;
Cursos sobre Musicoterapia, ministrados pela Professora Ana Léa, responsável pela Associação Catarinense de Musicoterapia;
Técnica de Caixa, com o baterista Guilherme Gonçalves (RJ) e prática em Conjunto, ministrado pelo multi-instrumentista Arismar do Espírito Santo, no 5º Festival de Música de Itajaí em 09/02;
Graduação em Pedagogia pela UNESC;
Pós graduação em Música: Práticas socias.

Qual seu estilo musical preferido?

Pelo fato de eu ter tocado baile por muito tempo, aprendi a gostar de muita coisa, e acabei tendo como característica principal a versatilidade. Ouço e gosto de Death à Enya e de Beethoven à Martinho da Vila.

O que tem ouvido ultimamente?

Tenho passado por várias fases. Teve um tempo que eu procurava ouvir muito Rock em geral, em outra fase, muita música brasileira instrumental, depois ritmos latinos e fusion, recentemente estava ouvindo um som mais pesado e procurando materiais sobre música africana. Hoje ouço tudo que me faz sentir bem ou me propicie algum aprendizado.

Seu kit, descreva-o, medidas, peles, hardware, pedal, cor e pratos?

Baquetas C.Ibañez (endorsee), Bateria Odery (endrosse) e Drummer's Capas para pratos

Acabamento laqueado com lâmina olho de passarinho na cor azul imperial(modificado)
Repenique 12”
Mini Caixa 10” x 4”
Caixa piccolo 14” x 3,5” free floating
Caixa de madeira 14” x 5,5”
Tom 6" x 4"
Tom 8" x 4"
Tom 8” x 9”(suspenso)
Tom 10” x 9”(suspenso)
Tom 12” x 10”(suspenso)
Tom ou surdo 14” x 12”(suspenso)
Surdo 16” x 14”(suspenso)
Dois cowbels
Bumbo 20” x 18" com pedal duplo Iron Cobra da Tama
Mini Bumbo 10" x 8"
Block tocado c/ pedal
Estantes de caixa e chimbal PEARL, tom holder GIBRALTAR e estantes de pratos de várias marcas.
 

Pratos Impression (endorsse)

Hit-hat Impression 13” - Fusão com dois pratos Botton (Tradicional e Rock)
Crash Impression 16" Rock
Splash Impression 10" Rock
Mini hit-hat Impression 10" - Combinação com Splash 10" de 236 gramas (top) e prato personalizado com 650 gramas (botton) 
Crash Impression 18" Rock
Ride Impression 20" Rock
China Impression 19" Rock

Qual motivo o levou a essa configuração?

Optei por esta configuração para poder atacar em qualquer trabalho, com praticamente o mesmo instrumento. Escolhi tons menores para ter uma sonoridade que gosto muito (tons agudos), mas deixei tambores maiores como o surdo 16 para não perder o peso na hora que estiver tocando sons mais pesados, ou mesmo fazer o surdo nas batucadas de samba.
Procuro utilizar o kit completo apenas em alguns workshops e geralmente faço a variação desse kit em configurações diferentes para cada trabalho ou estilo.


® Copyright Cristiano Forte 2003 - Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvido por Juliano Forte - Design - (51)9293-6789